Inicio hoje uma jornada pela história de Marechal Cândido Rondon, através de uma série de postagens para reavivar a memória visual da nossa cidade do alto. Munido de um olhar curioso e da tecnologia contemporânea, vou procurar reproduzir, com a maior fidelidade possível, os ângulos das raras fotografias aéreas antigas de nossa comunidade.

Para a empreitada, conto com a colaboração voluntária de rondonenses que tenham imagens aéreas antigas. Depois de identificado o local, com o auxílio de um drone, vou tentar capturar imagens atuais, tentando espelhar, com precisão e carinho, as perspectivas e cenários de um tempo que ainda pulsa na memória de muitos rondonenses.

Um grande horizonte

Parece um trocadilho, mas se observarmos a fotografia de 1987 nos deparamos com o parque agroindustrial da Agrícola Horizonte, que começava a desenhar literalmente o futuro no horizonte rondonense ainda a ser ocupado.

O ano de 1987 nos apresenta uma Marechal Cândido Rondon em seus anos de juventude, com apenas 27 anos. A foto antiga já nos mostra a Avenida Irio Welp duplicada neste trecho. No parque da Agrícola Horizonte, os primeiro armazéns, ainda sem os silos.

À esquerda, na lateral da foto, já existia o barracão da Interlagos Veículos.

Um pouco mais ao alto, onde hoje já existem vários loteamentos ocupados, na época eram áreas de pura lavoura ou potreiros.

Imagem de 1987 | Foto: Reprodução
Imagem de 2024 | Foto: Jadir Zimmermann

Cidade cresceu, mas o verde aumentou

A área de conservação permanente do Saae, no canto inferior direita, tinha menos árvores do que possui hoje. O próprio entorno da agroindústria é todo revestido por uma vasta cortina verde.

A foto antiga não alcança a área onde hoje está o Lago Municipal, mas é possível perceber que o verde ao longo da Avenida Rio Grande do Sul aumentou significativamente.

É tanta árvore, que tive que buscar um ângulo mais alto da foto de 1987. Se fotografasse na mesma angulação, muito pouco se enxergaria do horizonte em função das copas das árvores, que naquele tempo não existiam.

O cinza do concreto e o brilho dos novos telhados que se formaram ao longe formam uma simbiose visual com o verde das árvores, evidenciando uma expansão urbana consciente que respeita o pulso da natureza.

Que bom que Marechal Cândido Rondon soube harmonizar crescimento e sustentabilidade. As áreas verdes, que se erguem orgulhosamente em meio à urbanização, são testemunhas do respeito que a cidade nutre pelo seu entorno natural.

E que essas imagens sejam um lembrete: a cidade que nós chamamos de lar é um testamento vivo de que, mesmo nas mudanças mais profundas, a essência de um lugar reside sempre no coração de quem o ama e no cuidado com que o cultivamos.

Se você tiver alguma foto aérea antiga de Marechal Cândido Rondon ou seus distritos, encaminhe pelo WhatsApp (45) 99860-0127.

3 Replies to “Retratos do tempo: revivendo a história do alto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *