Vazou nesta terça-feira (22) mais um trecho da delação do ex-ministro dos governos Lula e Dilma, Antonio Palocci.

Conforme revelam o site O Antagonista e a revista Crusoé, num dos depoimentos de sua delação premiada, Palocci disse que o jornalista Roberto D’Ávila, atualmente apresentador de um programa de entrevistas na GloboNews, serviu como intermediário e se ofereceu como “laranja” para arrecadar dinheiro para o filme “Lula, o filho do Brasil”, cinebiografia do ex-presidente.

O jornalista Roberto D’Ávila já se manifestou e chamou de “mentira deslavada” a acusação de Antonio Palocci. “Eu não fui laranja nenhum, eu fui produtor do filme. (…) Fizemos a produção do filme e várias empresas contribuíram. Era 2008 e o Lula tinha 90% de aprovação. Aquilo era um negócio para nós”, disse D’Ávila.

As informações são do site O Antagonista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *