O ditador venezuelano, Nicolás Maduro, 56, chamou o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, de fascista, que estaria contaminado pela direita venezuelana e que vem impulsionando a direita de toda a região.

A manifestação foi durante o discurso de posse de Maduro. Ele tomou posse nesta quinta-feira (10) para um segundo mandato como presidente da Venezuela, desta vez até 2025.

Maduro venceu eleições consideradas fraudulentas pela oposição e por grande parte da opinião pública internacional. A abstenção foi de mais de 54% dos eleitores.

A Venezuela está em meio a uma grave crise econômica e humanitária, com mais de 3 milhões de habitantes tendo deixado o país devido a falta de alimentos e remédios.

A senadora paranaense Gleisi Hoffmann, presidente do PT, prestigiou a posse de Maduro e foi criticada até mesmo por outras lideranças da esquerda brasileira.

O Paraguai anunciou que não reconhece o novo governo venezuelano. O mesmo foi feito pela OEA, a Organização dos Estados Americanos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *