O cenário político em Marechal Cândido Rondon começa a ficar mais claro esta semana. Ocorre que até o dia 7 de abril todos aqueles que têm pretenção de concorrer nas eleições de outubro próximo e ocupam algum cargo público devem se desincompatibilizar.

Os desligamentos já começaram nesta segunda-feira (02), quando os secretários de Administração, Luiz Carlos Cardoso, e Segurança e Trânsito, Ito Rannov, ambos do PMDB, pediram exoneração e voltaram para a Câmara. Com o retorno dos titulares ao Legislativo, os suplentes Albenice Pinto de Souza e Josoé Pedralli tiveram que deixar a Câmara.

Mas, estes foram os primeiros desligamentos que ocorreram na prefeitura. Outro devem ocorrer até o final de semana. Também devem se desincompatibilizar os secretários de Obras, Nilson Hachmann (PP); de Esportes, Roberto Braatz (PP); de Indústria, Comércio e Turismo, Arlen Güttgues (PDT); e de Educação, Marta Salete Bendo (PMDB).

Nas autarquias municipais devem se desligar o diretor do Saae, João Marcos Gomes (PP) e o diretor da Codecar, Ari Hansen (PMDB).

Além destes, vários ocupantes do segundo escalão igualmente devem pedir afastamento. É o caso dos diretores Paulo Wachholz, Rosane Ost, Valmor Vorpagel, Hilário Gauer, Dorivaldo Kist (Neco), Ceno Unfried, Mari Túrmina e Sonia Wolffart.

Os substitutos para as secretaria, direção de autarquias e vagas de diretores devem ser anunciados pelo prefeito Moacir Froehlich somente após o feriado de Páscoa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *