É complicada a questão do transporte coletivo urbano de Marechal Cândido Rondon. Três empresas já chegaram à conclusão de que o serviço é inviável. A que está fazendo o serviço atualmente apresentou um balanço, mostrando que tem um prejuízo mensal de aproximadamente R$ 5 mil por ônibus. Isso ocorre porque 55% dos passageiros que transporta não paga passagem. São idosos e, por isso, tem gratuidade garantida por lei.

Na audiência pública realizada nesta quinta-feira (10), a prefeitura foi autorizada a subsidiar uma empresa a realizar o transporte até o final do ano. Até lá um estudo mais detalhado será feito, inclusive com o apoio da Acimacar, para tentar encontrar uma forma de viabilizar o serviço sem prejuízo aos usuários e sem onerar os cofres públicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *