A foto do dia

fifaEssa com certeza vai ficar na história. Se não na história, pelo menos será lembrada nas retrospectivas de final de ano.

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, foi surpreendido por um humorista manifestante, nesta segunda, pouco antes de conceder entrevista coletiva. O humorista inglês Simon Brodkin jogou notas de dólar sobre Blatter.

Depois do protesto, o humorista foi levado do local por seguranças. Ninguém precisou perguntar o que significavam os dólares sobre Blatter.

Sem vuvuzelas

A Fifa definiu esta semana ao governo brasileiro, que não vai permitir o uso de “vuvuzelas” e outros instrumentos sonoros nos jogos da Copa do Mundo em 2014.

Inicialmente o Ministério dos Esportes estava discutindo qual instrumento musical típico do Brasil seria usado na Copa , a exemplo da “vuvuzela”, amplamente usada na África do Sul em 2010. A disputa estava entre o “pedhuá”, apito de origem indígena, e a “caxirola”, criada pelo músico Carlinhos Brown.

Mas, agora a Fifa já jogou um balde de água fria nas pretensões brasileiras.

Roberto Braatz

Na última semana conversei com o assistente de árbitro FIFA Roberto Braatz. Nascido em Marechal Cândido Rondon, ele integrou o trio de arbitragem que representou o Brasil na Copa do Mundo da África do Sul, em 2010. Roberto está em seu último ano de arbitragem, uma vez que atinge a idade limite estabelecida pela FIFA (45 anos). Na entrevista ele faz uma avaliação de sua carreira e comenta momentos inusitados. Roberto também fala sobre os planos futuros, comentando que já tem convites para atuar como instrutor em cursos de arbitragem. Confira na íntegra da entrevista levada ao ar nesta segunda-feira pelo site AquiAgora.net

 

Brasil x Fifa

A disputa política entre o governo brasileiro e a Fifa nas questões que envolvem a Copa de 2014 parece que vai ter mais um capítulo no início da próxima semana. É quando vem ao país o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valck, que desembarca no Brasil segunda-feira para manter reuniões com o governo que prometem ser decisivas.

O cartola já avisou que o Brasil não vai vencer a Fifa nas exigências para a realização da Copa do Mundo. Ele garante que bebidas alcoólicas serão vendidas nos estádios. Quanto aos ingressos, ele disse que a Fifa planeja vendê-los entre US$ 20 e US$ 30, semelhantes aos que são cobrados hoje em alguns jogos do Brasileirão. Mas, esses valores são só para a primeira fase.

Valcke disse que a Fifa não vai abrir mão das demais exigências do Brasil, na defesa de seus parceiros comerciais. Por isso, ele vem ao Brasil para tentar costurar o acordo que estabelece a Lei Geral da Copa.