Resultado apertado

maioridadePor muito pouco não foi aprovado o texto-base da proposta de emenda à Constituição que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos nos casos de crimes graves. Para ser aprovada, a proposta precisava de 308 votos favoráveis, mas obteve apenas 303. Outros 184 deputados votaram contra e 3 se abstiveram.

O resultado mostra uma tendência nacional. A tolerância para com os crimes envolvendo menores está no limite. Acredito que se o país tivesse uma condição carcerária um pouco mais favorável, muito provavelmente a matéria teria sido aprovada.

Mas, a discussão ainda não acabou. Ainda falta a Câmara votar o texto original, que reduz a idade penal para 16 anos em qualquer crime. Essa votação deve ser votada na semana que vem. Se for rejeitada novamente, e deve ser, a proposta vai ser arquivada.

Avalanche

Uma verdadeira avalanche, que começou lá em Brasília e irrompeu para todos os cantos do Brasil a partir da divulgação da lista de políticos que devem ser investigados pela operação Lava Jato por determinação do STF. E não foi gente de um ou de outro partido governista. São 22 deputados federais, 12 senadores, 12 ex-deputados e uma ex-governadora, de cinco partidos diferentes.

Eu digo avalanche, porque o que foi divulgado em Brasília ontem, certamente terá reflexos por toda a parte, inclusive na nossa região, até por que há nomes de políticos arrolados que sempre tiveram votos por aqui, como é o caso do deputado Sperafico e da senadora Gleise.

Mas, é preciso deixar bem claro que ninguém foi condenado e que a divulgação da lista de ontem é apenas o início de um longo e desgastante processo de investigação.O STF apenas autorizou investigar as pessoas relacionadas. Depois, aqueles cujas investigações comprovarem envolvimento no esquema de corrupção na Petrobras serão então denunciados e depois disso viram réus no processo e serão julgados.

De volta à ativa

Foi efetivado como deputado estadual nesta terça-feira o toledano Duílio Genari, do PP. Ele, que era suplente, assumiu definitivamente uma cadeira na Assembleia Legislativa do Paraná a partir da renúncia do deputado Durval Amaral, que deixou o Legislativo estadual para assumir como conselheiro do Tribunal de Contas.

Desta forma, Duílio cumpre agora o seu sétimo mandato como deputado estadual, aos 70 anos de idade. Ele já foi vereador e prefeito de Toledo.

Perde o Oeste

A trágica morte do deputado federal Moacir Micheletto (PMDB) não representa apenas uma perda de um homem público. Com a sua morte, o Oeste do Paraná e, especialmente, Marechal Cândido Rondon perde força política em Brasília.

Micheletto era um dos 6 deputados federais que o Oeste elegeu em 2010. Tínhamos 20% dos 30 deputados estaduais quem cabem ao Paraná. Com a sua morte, passamos a ter apenas 16,6%. Menos representatividade, menos recursos. Continue lendo…