Caso de polícia

Foi parar na Delegacia de Polícia o caso de um trote telefônico em que uma pessoa se passa pelo humorista Willmutt. O trote foi aplicado num disk-sexo e o seu conteúdo é discriminatório e preconceituoso no que tange a orientação sexual da pessoa que atendeu o telefone. Sem contar o uso de incontáveis palavrões.

Como o personagem Willmutt não usa destes tipos de expedientes para divertir as pessoas. Como muita gente estava acreditando mesmo se tratar do Willmutt, a solução encontrada foi registrar um BO para responsabilizar o autor, principalmente no sentido de retirar o conteúdo da internet. Além de prejudicar a imagem do personagem, o trote falso viola os direitos autorais, uma vez que o humorista rondonense Cleiton Kurtz detém os direitos sobre a utilização do nome e imagem do Willmutt.