Na sessão da Câmara

“O que o vereador Fumagali fala entra num ouvido e sai no outro, pois eu já conheço a peça”.

Do vereador Adriano Cottica (PP) durante pronunciamento na tribuna da Câmara nesta segunda-feira (13).

Não me sinto atingido por aquilo que vem de baixo, quando me chamam de peça.

Do vereador Fumagali (PSC) após pronunciamento de Cottica, na sessão desta segunda-feira.

Provocações mútuas

É de longa data que os vereadores Ítalo Fumagali e Adriano Cottica trocam provocações nas sessões da Câmara Municipal de Marechal Cândido Rondon. Nesta segunda-feira (27) a situação não foi diferente. Em vários debates de matérias diversas, os dois acabavam desviando o foco para “cutucar” um ao outro.

É claro que as provocações e cutucadas são um atrativo à parte para quem acompanha as sessões. Contudo, com absoluta certeza, não é para isso que a população elege os vereadores. O debate em torno de projetos e outras matérias é salutar, mas, quando se foge desse propósito e as discussões ficam apenas no campo pessoal e político, quem perde é o município.

Discurso para ser bem interpretado

Foi interessante o pronunciamento do presidente estadual do PPS, deputado Rubens Bueno, durante o encontro promovido pelo partido no CTG, em Marechal Cândido Rondon, na última sexta-feira (17), objetivando a apresentação de um projeto político novo para o município. Um trecho em especial, do pronunciamento, chamou a minha atenção, e transcrevo-o a seguir, para a interpretação de cada um. Continue lendo…

Salinha para resolver questões pessoais

O presidente da Câmara de Marechal Cândido Rondon, Ilário Hofstaetter (Ila), convidou os vereadores Fumagalli e Cottica a usarem uma sala a parte para resolverem suas questões de ordem pessoal. Seguidamente os dois fogem dos assuntos propostos no Legislativo e acabam entrando em discussões paralelas.

Tapetes estendidos no PDT

“Se depender de mim, as portas estão abertas, os tapetes estendidos e eu estarei aqui para aplaudí-lo quando ele chegar. Mas a filiação é da vontade própria de cada um. Já houve algumas conversas, sim. Ele é um homem de bem. A decisão é dele, um ato pessoal e intransferível. Mas se ele decidir será muito bem vindo. O partido sempre recebe de braços abertos os homens de bem”.

Do Ministro do Trabalho, Carlos Lupi, sexta-feira (20), em Curitiba, falando sobre a possibilidade do ex-deputado Gustavo Fruet ingressar no PDT.