Eleição na Câmara

Passado o calor (e que calor) da campanha presidencial, as atenções da política local agora se voltam para a escolha do novo presidente da Câmara.

Nas conversas sobre o assunto, três nomes são constantemente lembrados para a sucessão de Ilário Hofstaetter, sendo dois do PP e um do PMDB.

Um dos postulantes do PP é João Marcos Gomes, que já foi presidente do Legislativo. Outro do PP é o atual secretário de Viação e Serviços Públicos, Adriano Cottica, que poderá voltar à Câmara ainda neste ano.

Pelo PMDB é o vereador Josué Pedralli que pretende ocupar o cargo maior do Legislativo rondonense.

As conversas devem se acentuar daqui para frente, uma vez que a nova mesa diretiva para o biênio 2015-16 deve ser eleita até a última sessão ordinária deste ano.

O prefeito responde

Neste sábado (16) estreia nas emissoras de rádio de Marechal Cândido Rondon um programa em que o prefeito da cidade, Moacir Froehlich, vai responder às perguntas da comunidade. Todo sábado, Moacir Froehlich estará, alternadamente, em uma das emissoras, às 10 horas, para responder a perguntas formuladas pelo povo.

As perguntas devem ser encaminhadas às emissoras no decorrer da semana. O prefeito garante que não haverá qualquer censura, desde que as perguntas  e críticas sejam voltadas à administração, por mais ásperas que sejam.

O programa poderá ser acompanhado todos os sábados, a partir das 10 horas, de forma alternada, ou seja, uma semana na Difusora, outra na Educadora. As apresentações estarão a cargo dos comunicadores Regis Guerreiro (Difusora) e Delcio Luiz Parada (Educadora).

Codecar

Praticamente todo o primeiro escalão do novo governo Moacir e Cottica está definido. O prefeito somente ainda não definiu pela indicação à presidência da Codecar.

Neste caso específico não se trata de nenhuma questão de ordem política. É pura e simplesmente uma indefinição técnica. A dúvida é o que fazer com a Codecar.

Responsável pelo recolhimento do lixo, pela pedreira municipal e pela estação rodoviária, a Codecar há muitos anos é responsável por um grande ônus para as administrações. Ela custa mais do que rende.

Por isso da indefinição. O prefeito ainda não tem claro qual é a melhor alternativa para a empresa, onde a prefeitura é a acionista majoritária.

Atitude estranha

Chamou a atenção hoje a atitude do Governador Beto Richa ao não comparecer à Assembleia Geral da Amop, em Cascavel, onde estavam reunidos quase todos os 52 prefeitos da região Oeste do Paraná. O Governador estava em Cascavel para a inauguração de uma gigantesca câmara frigorífica da Cotriguaçu junto ao terminal da Ferroeste.

Mesmo estando na cidade, ele não se dignou a passar no encontro da principal entidade política da região. Será que os prefeitos do interior não lhe são importantes politicamente?

Lula, uma estrela

O ex-presidente Lula continua brilhando como uma verdadeira estrela entre os líderes sul-americanos. Acompanhante da presidente Dilma no velório de Chávez, Lula foi o centro das atenções nas rodas de conversa. Ele passou o tempo todo cercado por Evo Morales (Bolívia), Rafael Corrêa (Equador) e Raúl Castro (Cuba).

Não agradou

A mudança das sessões da Câmara de Marechal Cândido Rondon de terça-feira de manhã para às 17 horas de segunda, não agradou muito. Pelo menos é isso que se observa com quem se conversa sobre o assunto e até mesmo por manifestações nas redes sociais. Quem era contra as sessões na manhã de terça diz que não mudou nada alterando o dia e a hora, que continuam em horário comercial, dificultando a quem trabalha acompanhar as sessões.

Agora, por outro lado, por muitos anos eu acompanhei as sessões do Legislativo quando eram às 18 horas. E, confesso que foram raras as oportunidades em que as pessoas da comunidade foram acompanhar uma sessão. Geralmente sempre eram os mesmos e não passava de meia dúzia. O resto era assessor de vereador ou alguém querendo ser candidato a vereador no futuro.

Voto num poste

O ex-presidente Lula lançou a presidente Dilma à reeleição na última quarta-feira, numa festa do PT. Ele fez isso estrategicamente, para evitar a deflagração de um movimento “VOlta Lula”.

Mas, o que chamou a atenção dos petistas foi o tratamento de Lula à presidente DIlma ao lançá-la à reeleição.

Disse Lula: “A primeiro vez que votei para Presidente foi em mim mesmo, de tanto que gostava de mim (risos), na segunda votação também foi em mim (mais risos), na terceira, por azar, foi num poste (silêncio) que está iluminando o Brasil (novos aplausos)”.