Suicídio?

Que as coisas andam difíceis no Palácio do Planalto todo mundo sabe. Mas foi um tanto exagerada a boataria que circulou no final de semana na internet de que a Presidente Dilma teria tentado o suicídio e por isso teve que ser internada.

A própria Presidente fez questão de desmentir os boatos na manhã desta segunda-feira, fazendo uma pegunta aos jornalistas que cobriam o lançamento do Plano Safra para a Agricultura Familiar. “Nesse domingo correu um boato de que eu estava internada. Vocês acham que eu estava?”

Sem remédio

Alguns empresários de Cascavel e secretários municipais de Ibema acordaram com uma tremenda dor de cabeça, com equipes do Gaeco batendo à porta ainda na escura e fria madrugada.

O objetivo da operação foi desmantelar um esquema de fraude que envolvia empresas fornecedoras de medicamentos e pessoas da prefeitura de Ibema. Estima-se que as fraudes geraram um prejuízo de R$ 1 milhão aos cofres públicos àquele município.

As empresas envolvidas, além de favorecidas nas licitações, os empresários forneciam medicamentos vencidos, ou prestes a vencer, e muitas vezes enviavam estoque menor do que o comprado.

Uma solução “provisória”

Entrou em vigor a nova fórmula de aposentadoria para o setor privado. Uma decisão do governo que merece, no mínimo, o reconhecimento, pois a presidente Dilma não cedeu à pressão das centrais sindicais e de setores populistas do próprio PT, optando pela coerência, vetando as alterações aprovadas pelo Congresso que aumentavam as despesas com aposentadoria precoce.

Com a forma alternativa apresentada através de Medida Provisória, o governo espera gastar R$ 50 bilhões a menos na Previdência até 2026.  A fórmula, pode não ser a ideal e nem corrige muitas das injustiças do fator previdenciário que prejudicou milhões de aposentados. Mas, a nova fórmula, progressiva, é compatível com a realidade do País.

A fórmula contida na MP alivia o impacto financeiro que a mudança original estabelecia, contudo não encerra o debate, pois o sistema progressivo é, realmente uma “medida provisória”. O futuro das aposentadorias e o precário modelo que as sustenta merece permanecer na pauta de discussões de sindicatos, políticos e entidades, para modernizar esse nosso sistema que já anda cansado e curvado.

84 anos

Completa 84 anos hoje o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Ele nasceu no Rio de Janeiro, em 18 de junho de 1931.

Sociólogo e cientista político, foi também professor universitário e escritor, além de político, é claro. Entrou na política depois de voltar do exílio no Chile e na França, por causa da ditadura militar no Brasil.

Foi Senador e depois Ministro da Fazenda no governo Itamar Franco. Foi aí que ganhou projeção, ao chefiar a implantação do Plano Real. Isso o tornou o nome forte do PSDB para a corrida presidencial em 1994.

Em 1998 tornou-se o primeiro presidente reeleito do Brasil, mas no segundo mandato amargou uma queda na sua popularidade devido a uma forte desvalorização do Real, a crise do apagão e outros acontecimentos.

Atualmente participa de diversos conselhos consultivos no exterior, ministra palestras e é membro da Academia Brasileira de Letras.

Avalanche

Uma verdadeira avalanche, que começou lá em Brasília e irrompeu para todos os cantos do Brasil a partir da divulgação da lista de políticos que devem ser investigados pela operação Lava Jato por determinação do STF. E não foi gente de um ou de outro partido governista. São 22 deputados federais, 12 senadores, 12 ex-deputados e uma ex-governadora, de cinco partidos diferentes.

Eu digo avalanche, porque o que foi divulgado em Brasília ontem, certamente terá reflexos por toda a parte, inclusive na nossa região, até por que há nomes de políticos arrolados que sempre tiveram votos por aqui, como é o caso do deputado Sperafico e da senadora Gleise.

Mas, é preciso deixar bem claro que ninguém foi condenado e que a divulgação da lista de ontem é apenas o início de um longo e desgastante processo de investigação.O STF apenas autorizou investigar as pessoas relacionadas. Depois, aqueles cujas investigações comprovarem envolvimento no esquema de corrupção na Petrobras serão então denunciados e depois disso viram réus no processo e serão julgados.