Um dos novos

Hilário Gauer, do PMDB, é um dos novos vereadores eleitos em Marechal Cândido Rondon. Ele já havia sido candidato em 2008, mas na ocasião não conseguiu se eleger. Agora fez mais do que o dobro dos votos e foi o mais votado entre os 5 vereadores eleitos do PMDB.

Entrevistei Gauer na semana passada, cuja entrevista em vídeo foi exibida esta semana no site AquiAgora.net. Na conversa, ele voltou a reafirmar o que já havia dito em entrevista ao jornal O Presente, ou seja, de que na sua opinião o futuro presidente da Câmara deva ser alguém do PMDB. Porém, ele mesmo diz que não pretende pleitear o cargo.

Mais de 2.800 recursos

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) recebeu até ontem,  segunda-feira (23) um total de  7.875 recursos de impugnação de candidaturas em todo o Brasil. Desses, foram julgados 5.026 até o momento, restando ainda mais de 2.800 recursos.

Do total de processos que chegaram ao TSE até agora, 3.159 são embasados nos artigos da Lei da Ficha Limpa, dos quais foram julgados 1.364. Há ainda as impugnações relacionadas a outros motivos, como quitação eleitoral, por exemplo.

Os ministros da Corte querem julgar todos os recursos até dezembro, quando ocorre a diplomação dos candidatos eleitos.

Começa a disputa

Passado o período eleitoral, já começam as conversas sobre quem vai ser o futuro presidente da Câmara em Marechal Cândido Rondon. Como o PMDB elegeu 5 dos 9 vereadores, alguns dos eleitos já manifestaram publicamente que a presidência deve ser do PMDB.

Porém, em entrevista do Jornal O Presente nesta terça-feira (23), o vereador reeleito do PP, Adriano Cottica, lembrou que o seu partido também foi importante na busca de votos e que igualmente pensa na presidência do Legislativo.

Independente de quem seja o presidente, dificilmente o grupo irá repetir o erro cometido há 4 anos, quando Ito Rannov compôs com os 3 vereadores da oposição e com Ítalo Fumagali, elegendo-se presidente da Câmara, contrariando os colegas de coligação.

Semana decisiva

Tudo indica que nesta semana será julgado no TRE, em Curitiba, o recurso em que Moacir Froehlich e Silvestre Cottica tentam a reforma da decisão judicial em primeira instância que cassou o registro da candidatura de ambos para prefeito e vice-prefeito, respectivamente. Há uma expectativa que o recurso deva ser julgado na próxima quinta-feira (25).

Preliminarmente, o Ministério Público Federal se manifestou pela retirada da cassação e pela redução da multa aplicada. Caso isto se confirme, ou seja, ocorra a reforma da decisão, os 13.538 votos que Moacir e Cottica receberam na eleição de 7 de outubro passam a valer, tornando-os vencedores da eleição, com mais de 47% dos votos. Caso contrário, se o TRE mantiver a decisão da justiça eleitoral local, Vítor Giacobbo, que somou 8.122 votos, poderá vir a ser diplomado como prefeito eleito.

Porém, independente de qual seja a decisão do TRE, certamente haverá recurso junto ao TSE, em Brasília, o que deverá levar ainda mais tempo para ser analisado e julgado.

Prefeito jovem

Com apenas 32 anos, Paulo Feyh (PT), de Quatro Pontes, é um dos prefeitos eleitos mais jovens do Paraná. Ele conseguiu romper um ciclo de 5 administrações do mesmo grupo político, elegendo-se com 1625 votos, contra 1455 do ex-prefeito Silvestre Kuhn.

O que foi surpresa para muitos, não surpreendeu ao próprio. Paulo diz que a comunidade estava carente por uma mudança e a pedido do grupo, ele decidiu abandonar uma candidatura a vereador para ser o candidato a prefeito. O sucesso na primeira experiência política confere a Paulo também o grande compromisso de fazer uma administração responsável. Ele mesmo afirma que sua gestão será mais técnica e menos política.

Confira abaixo a conversa que tive com ele e que está sendo publicada hoje no AquiAgora.net.

A força eleitoral dos partidos

É correto afirmar que a força de um partido se mede pelos votos que  tem. A eleição proporcional em Marechal Cândido Rondon deu uma mostra clara da força dos partidos no município.

Um total de 19 siglas participaram do processo eleitoral. Com impressionantes 10.652 votos, o PMDB é disparado o partido com maior potencial eleitoral hoje no município.

A segunda força é o PP, que contabilizou 7.133 votos.

A terceira força é o DEM, que já fora muito mais forte, mas que na última eleição conseguiu somar tão somente 3.810 votos, sendo que 43,5% destes foram feitos por um candidato isoladamente, ou seja, Márcio Rauber, que contabilizou sozinho 1.659 votos. Continue lendo…

Pode acontecer

Dois dos candidatos a vereador que disputaram o pleito em Marechal Cândido Rondon continuam com suas votações contadas em separado, uma vez que ambos estão com os registros impugnados em função de decisões judiciais. Nilson Hachmann (PP) e Luiz Carlos Cardozo (PMDB) aguardam a decisão dos tribunais para tentar validar os seus votos.

Nilson somou 1.019 votos, enquanto que Cardozo contabilizou 897 votos. Por enquanto, nem os votos de Nilson e nem os de Cardozo são considerados válidos e figuram no quadro de votos nulos. Continue lendo…