Prejuízo na lavoura

Não são só os produtores do Oeste do Paraná que amargam prejuízos devido a pouca chuva. Matéria veiculada nesta quarta-feira (04) pelo jornal Diário dos Campos (Ponta Grossa), mostra que na região dos Campos Gerais (18 municípios), antes mesmo de iniciar a colheita, produtores de milho e feijão estão contabilizando os prejuízos provocados pela estiagem. Diz a matéria que entre 5% e 10% da produção de milho já está comprometida. Na lavoura de feijão o prejuízo é maior: entre 10% e 20%. A previsão do Deral é uma perda aproximada de R$ 45 milhões, sendo R$ 25 milhões nas lavouras de milho e R$ 20 milhões nas de feijão.

Comentários desativados em Prejuízo na lavoura

Vergonhoso

A edição desta segunda-feira (02) do jornal O Globo (Rio de Janeiro) estampa uma triste e vergonhosa imagem. A Praia de Copacabana, a mais famosa praia do planeta, castigada por 370 toneladas de lixo deixada pelo povo durante a noite de réveillon. O público, que foi estimado em 2 milhões de pessoas, não só deixou de  atender os pedidos das autoridades para que levasse seus sacos plásticos para recolher seu próprio lixo, como ainda aumentou em cerca de 25% o volume de resíduos na praia em relação ao ano passado.

Conta a matéria, que as pessoas pareciam não se importar em dividir o mesmo espaço com a sujeira. Com a chuva e a maré subindo, o lixo era levado para a água. Dentro do mar, garrafas, latas e plásticos se misturavam a flores oferecidas para Iemanjá.

Quatro Pontes em destaque

O município de Quatro Pontes é um dos destaques da Gazeta do Povo neste final de semana. O destaque vai para a longevidade e os menores índices de analfabetismo e pobreza no Paraná. Os números levantados pelo IBGE e abordados na matéria colocam Quatro Pontes como uma das cidades mais desenvolvidas do Paraná. Dos 3.378 moradores com 10 anos ou mais, 3.340 são alfabetizados. A esperança de vida ao nascer é de 83,1 anos, enquanto a média paranaense é de 74,7 anos. Os habitantes têm ainda o sétimo maior rendimento médio domiciliar per capita do estado, de R$ 909,76. Quer ler a matéria inteira? Clique aqui e confira.

Lindas praias

O Diário Catarinense (Florianópolis) publica na sua última edição de 2011, neste sábado (31), uma matéria sobre as lindas praias da Ilha de Santa Catarina. Especialistas divergem entre quantas são. Alguns garantem que são 100 praias, outros contabilizam apenas 42. Mas, o número é o que menos importa para quem curte pequenos refúgios, como a Praia do Norberto, localizada no Sul da ilha e que serve como ilustração de capa para a matéria.

Sem homicídios

Algumas cidades do Oeste do Paraná não registram assassinatos desde 2009. O assunto é abordado em matéria do jornal O Paraná (Cascavel) desta sexta-feira (30). Os dados são da Sesp (Secretaria de Estado de Segurança Pública) com base nas informações repassadas pelas delegacias da Polícia Civil de Cafelândia, Campo Bonito, Ibema, Iguatu, Mercedes, Missal e Serranópolis do Iguaçu.

Juntas elas somam 47.712 habitantes e representam 15% das cidades do Oeste. São cidades pequenas com qualidade de vida e que ainda são tranquilas e seguras. Apesar de pouco aconselhável, por lá ainda é comum as famílias dormirem com as janelas abertas em dias quentes.

No interior de Mercedes, foi contabilizado um crime em agosto de 2011, mas a polícia explica que ele pode não ter entrado para as estatísticas da Sesp pelo fato de ter sido caracterizado como legítima defesa ou identificação afim, por exemplo.

Portabilidade bancária

O Jornal de Brasília (Brasília) publica na sua edição desta quinta-feira (29) matéria sobre a conta-salário do funcionalismo público.

A partir do próximo dia 2 de janeiro, 11 milhões de servidores públicos de todo o País, poderão escolher em qual banco querem receber os salários. Trata-se da implementação da portabilidade bancária no funcionalismo público, direito conferido por determinação do Banco Central (BC) em 2006.

A operação é simples e rápida. Só muda quem quiser. Segundo especialistas ouvidos pelo Jornal de Brasília, a portabilidade pode, nos primeiros meses, acirrar a concorrência entre os bancos. No entanto, essa concorrência tenderá, segundo enfatizam, a se acomodar ao longo do tempo, gerando um aumento das taxas cobradas nas operações de crédito  e nos juros do cheque especial.

Com a medida, o correntista também não ficará mais “preso” ao banco porque possui empréstimos. Mesmo tendo empréstimo em determinado banco, ele pode optar pela transferência de sua conta-salário. O BC aconselha aos clientes que optarem pela portabilidade a procurar o gerente do banco de origem para mais esclarecimentos, uma vez que essa operação pode envolver taxas, descontos, entre outros detalhes.

Estiagem no Rio Grande do Sul

O jornal Zero Hora, de Porto Alegre, publica na sua edição desta quarta-feira (28) matéria sobre a estiagem prolongada no estado.

Conforme a matéria, cerca de R$ 2,5 bilhões devem deixar de circular na economia gaúcha em 2012 em razão da seca.  Estimado pela Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado (Fecoagro) com base nas perdas das lavouras de milho, o prejuízo tende a provocar reação em série que afetará indústria, comércio e municípios. Uma previsão mais precisa será possível fazer somente em janeiro.

Muitos produtores já estão desistindo de comprar máquinas e implementos agrícolas. Diante da estiagem, as vendas já caíram 60% em uma loja especializada em máquinas de Bagé.

Apesar da chuva que caiu nos últimos dias, a situação é delicada no campo. Na região de Passo Fundo, segundo a Emater, há municípios com quebra de até 90% no milho. O problema tem se espalhado com rapidez na Metade Norte e já levou 25 municípios a notificar a Defesa Civil.

À espera do sol

O jornal Gazeta do Povo (Curitiba), na edição desta terça-feira (28), apresenta matéria sobre o tempo no litoral. As temperaturas baixaram e trouxeram a chuva no fim de semana nas praias do Paraná.

Hoje o tempo deve continuar nublado, mas a previsão é que a frente fria chegue ao fim e o sol volte no meio da semana. Com nuvens e instabilidade, as famílias ficaram mais dentro de casa e reviveram tradições de Natal. Com tempo firme e para evitar congestionamentos e ao mesmo tempo aproveitar o passeio, a bicicleta é uma boa pedida. Mas qualquer que seja o meio de transporte, o respeito às leis de trânsito tem de estar sempre presente.