Algumas capas de hoje

Comentários desativados em Algumas capas de hoje Tags , |

Puro mito

Dado interessante publicado pelo Estadão hoje, numa análise sobre os números e os mitos da última eleição. Ao contrário do que muitos imaginam, que a abstenção de 21% é fruto de apatia política, não é isto que revela a análise do jornal.

Historicamente a abstenção no país gira em torno de 20% e não varia muito de eleição para eleição. Segundo o levantamento feio pelo jornal,  a ausência nas urnas tem mais a ver com a falta de atualização de dados na Justiça Eleitoral. Prova disso é de que em municípios onde houve o recadastramento eleitoral, na sua maioria, a abstenção ficou abaixo dos 10%.

O recadastramento, entre outras coisas, remove da lista do TSE eleitores que já morreram, e que, naturalmente, não podem aparecer para votar.

O prefeito responde

Neste sábado (16) estreia nas emissoras de rádio de Marechal Cândido Rondon um programa em que o prefeito da cidade, Moacir Froehlich, vai responder às perguntas da comunidade. Todo sábado, Moacir Froehlich estará, alternadamente, em uma das emissoras, às 10 horas, para responder a perguntas formuladas pelo povo.

As perguntas devem ser encaminhadas às emissoras no decorrer da semana. O prefeito garante que não haverá qualquer censura, desde que as perguntas  e críticas sejam voltadas à administração, por mais ásperas que sejam.

O programa poderá ser acompanhado todos os sábados, a partir das 10 horas, de forma alternada, ou seja, uma semana na Difusora, outra na Educadora. As apresentações estarão a cargo dos comunicadores Regis Guerreiro (Difusora) e Delcio Luiz Parada (Educadora).

Meu amigo, amigo do Papa

É curioso como o mundo é pequeno. Nos últimos dias estive na torcida para que Dom Odilo Scherer, que cresceu aqui perto, em Dois Irmãos, fosse o sucessor de Bento XVI.

Mas, o conclave escolheu um cardeal até então desconhecido da mídia, porém, latino-americano. Para decepção dos brasileiros futebolísticos, um argentino.

Curiosamente, no dia seguinte ao anúncio, descubro que um amigo meu, pastor Clóvis Elói Kurtz, que se criou em Marechal Rondon, estudou pastor em São Leopoldo e hoje mora e trabalha na Argentina, conviveu com o papa. Trocou muitas ideias com ele e, se bobear, até jogou um carteado.

Clóvis revela que Jorge Mário Bergoglio é uma pessoa muito humilde, discreta e que, devido a sua característica, irá desenvolver uma relação ecumênica mais aberta entre todos os cristãos, independente de religião.

Esse é o meu amigo, amigo do Papa.

Driblando os Cardeais

A imprensa da Itália reforçou nesta terça-feira (12), dia de início do Conclave, que o cardeal brasileiro Dom Odilo Scherer seja um dos favoritos para ser o próximo Papa.  Um dos principais jornais do país, o “Corriere della Sera”, publicou em sua capa uma charge que mostra a Capela Sistina como se fosse um campo de futebol e Dom Odilo aparece driblando os outros cardeais com uma bola.

Além do brasileiro, que iniciou sua vida religiosa aqui no Oeste do Paraná, mais especificamente em Quatro Pontes e Toledo, outros nomes que têm surgido com força entre os favoritos são os do italiano Angelo Scola e do americano Sean O’Malley.

Globo Rural

Esta semana uma equipe do Globo Rural está em Marechal Cândido Rondon para gravar uma reportagem especial. O tema é o condomínio de agroenergia da Linha Ajuricaba. As gravações iniciaram na terça (05) e serão concluídas nesta quinta-feira (07). Ainda não há uma data para a exibição da matéria, pois ainda depende da edição do material. O jeito não é perder nenhum programa daqui pra frente.

O dia que entrevistei Oviedo

Morreu neste final de semana, num acidente de helicóptero, o general Lino Oviedo, candidato a presidente do Paraguai para as eleições deste ano. Ele sempre foi uma figura polêmica em meio a política paraguaia, mas ao mesmo tempo, tinha uma liderança impressionante.

Durante os cerca de 4 anos que viveu exilado no Brasil, frequentava os municípios da nossa região. Era comum encontra-lo na Festa do Cupim em Pato Bragado, na Festa do Boi no Rolete, no Show Rural e outros eventos.

Foi justamente com Oviedo que fiz uma das entrevistas mais marcantes dos meus 22 anos de jornalismo. Não por ser ele o entrevistado, mas pelas circunstâncias em que a entrevista aconteceu. Continue lendo…

Policial 24 horas por dia

“Vivo polícia 24 horas por dia, sexta, sábado e domingo. Quando era pequeno, tinha vergonha de ser filho de policial. Meu pai é a pessoa mais honrada que eu conheço, talvez destoe do resto, mas era pobre. Era feio ser policial. Quando entrei na polícia queria mudar isso e, hoje, a polícia mudou, está muito valorizada. Todos querem ser nossos amigos. Acho que faço parte desse processo. O que a gente pretendia, hoje consigo ver: a mudança na Polícia Civil do Rio Grande do Sul.”

Marcelo Arigony
Delegado Regional de Santa Maria, que coordena a investigação da tragédia na boate Kiss