Cleiton Geovani Kurtz – Willmutt

Na entrevista divulgada nesta quinta-feira (17) pelo quadro Em Conexão no AquiAgora.net, converso com o humorista rondonense Cleiton Geovani Kurtz, que interpreta o personagem Willmutt. Conhecido em todo o Brasil, especialmente nos três estados do Sul, Willmutt divulga o nome de Marechal Cândido Rondon por todos os lugares em que viaja para fazer os seus shows de humor. No nosso bate-papo, ele fala sobre como surgiu o personagem e comenta como iniciaram os shows. Ele também faz uma abordagem sobre o seu envolvimento na política de Marechal Rondon.

Assista abaixo a entrevista na íntegra:

Agenda cheia

O humorista rondonense Willmutt está com a agenda cheia neste mês de maio. São shows em todos os finais de semana.

Já esteve em Uruguaiana/RS. Nesta sexta-feira (11) se apresenta pela quinta vez em Lages/SC. Domingo (13) estará em Santa Rosa de Lima/SC. No dia 17 em Caxias/RS, no dia 18 em Carlos Barbosa/RS, nos dias 22 e 23 em São Bento do Sul/SC e no dia 26 em Campo Mourão/PR.

Se continuar fazendo sucesso desse jeito, é bem melhor seguir a carreira artística do que se aventurar na política.

Justiça seja feita

A programação artística da Expo Rondon 2012 é uma das melhores dos últimos anos. Mas, dentre todas as atrações, uma certamente terá um valor maior entre os rondonenses. E, independente de gozações e chacotas bobas, tenho a absoluta certeza que vai reunir um público muito grande na arena de rodeio na noite do sábado, dia 28 de julho.

Eu falo do show homenagem de Walter Basso. Ele foi o primeiro artista a levar o nome de Marechal Cândido Rondon aos mais diversos cantos deste país. Se hoje temos Willmutt, Andreia Andrioli, Juliana Valiatti, Jociane Koch e Claudia Swaroski brilhando no meio artístico  nacional, muito antes deles, em outros tempos, tivemos a voz talentosa de Walter Basso ecoando por esse Brasil afora com as suas composições. Continue lendo…

Chico morreu

Poderia ser uma piada. De mau gosto, é claro. Mas, ainda assim, poderia ser apenas uma piada.

Mas, não. É a dura e triste realidade. Chico morreu.

Assim como Pelé no futebol, Ayrton Senna no automobilismo, Roberto Carlos na música, Chico Anysio é um desses fenômenos raros, no campo do humor.

Interpretou mais de 200 personagens em seus 65 anos de carreira. Alguns dos mais conhecidos: Bento Carneiro, Pantaleão, Professor Raimundo, Quem-Quem, Justo Veríssimo, Alberto Roberto, Tavares, Linguinha, Painho, Popó, Coalhada, Salomé, Divido e por aí vai.

Chico Anysio deixa um grande vazio. Um vazio ainda maior pela falta que vão fazer a sua criatividade e talento, tão raros no humor brasileiro.

Nesse final de semana vamos ser contraditórios. Vamos chorar Chico Anysio.

Fofoca e política

Acho uma tremenda hipocrisia quando ouço alguém falar que não gosta de fofoca. É muito comum as pessoas terem interesse pela vida uma das outras, especialmente quando se trata de pessoas famosas. Comentam mesmo!

Agora, quando a fofoca vem carregada de comentários maldosos, ácidos, movidos por mero interesse, é preciso muito cuidado. Principalmente quando se trata de interesse político. Cuidado! É perigoso dar muita atenção para quem não faz nada, além de fofocar.

Tenho recebido algumas críticas por não permitir alardear algumas fofocas através dos recados do AquiAgora.net. Mas, os 20 anos de jornalismo que carrego nas costas me ensinaram a ser cauteloso com isso, especialmente em ano eleitoral, quando o eleitor costumeiramente é bombardeado por acusações entre e sobre candidatos. Continue lendo…

Livros mais baratos

Assim que voltar de férias da Bahia a presidente Dilma promete lançar o Programa Livro Popular. O Senado já aprovou um reforço de R$ 13 milhões ao programa, que agora já tem R$ 37 milhões garantidos para estimular a ofertas de livros a preços mais acessíveis no Brasil. A previsão é que o preço médio de cada obra seja de aproximadamente R$ 10,00.

Feliz Natal

O mundo está em nossas mãos. Tenhamos coragem e determinação para transformar momentos difíceis em grandes desafios, buscando na solidariedade um passo para dias melhores.

Que o Natal, ao invés de ser apenas uma data, seja um estado de espírito a nos orientar a vida, permanentemente.

Neste Natal, que o grande potencial da humanidade revele-se em cada um de nós para o início de um novo ano.

Felicidades a todos que nos acompanham neste blog, lembrando que melhor do que todos os presentes por baixo da árvore de natal é a presença de uma família feliz.

Um abençoado Natal a todos.

Escolas “particulares” comunitárias

Sem querer desmerecer nenhuma instituição de ensino público, hoje quero falar sobre o importante papel que tiveram e continuam tendo as escolas denominadas como “particulares” em Marechal Cândido Rondon: Rui Barbosa, Cristo Rei e Martin Luther.

São educandários que surgiram num tempo em que ainda cabia à igreja garantir a educação às crianças, uma vez que os recursos do Estado raramente chegavam até as colônias mais remotas, como era o caso da Vila General Rondon. Para garantir que as crianças tivessem educação, as comunidades se organizavam e constituíam suas escolas, absorvendo a demanda existente. Continue lendo…