25 anos da queda

Há exatos 25 anos acontecia um dos episódios mais importantes da história contemporânea: a queda do muro de Berlim.

No dia 9 de novembro de 1989 o muro que dividia a capital alemã Berlim veio abaixo. Mais do que uma barreira física que separava moradores da mesma cidade, começava a ruir a polarização que durante décadas confrontou dois sistemas políticos, o comunismo e o capitalismo.

O Muro de Berlim foi construído em 1961 pelo regime socialista da extinta República Democrática Alemã, também conhecida como Alemanha Oriental. O objetivo era separar duas áreas da capital alemã, então dividida entre uma parte capitalista e outra socialista. A construção se estendia por 37 quilômetros dentro da zona urbana da cidade.

A queda do muro colocou fim a um dos principais símbolos da Guerra Fria e iniciou a reunificação da Alemanha.

Apesar do tempo, ainda hoje há alguns elementos de divisão na sociedade alemã. A Alemanha ainda é um país bastante desigual, econômica e socialmente. Mas, a desigualdade hoje não é geográfica, mas entre as classes. Partes da antiga Alemanha Oriental agora são ricas, enquanto partes da antiga Alemanha Ocidental se tornaram mais pobres.

Nas fotos, quando tive a oportunidade de visitar Berlin, em 2008, em pontos onde passava o antigo muro.

Um homem qualquer

A morte de Oscar Niemeyer revelou um fato até então desconhecido da sociedade brasileira. Enquanto seguidamente observamos pessoas buscando homenagens e reconhecimentos pífios, até mesmo pagando altos preços por isso, Niemeyer dispensou uma festa em sua homenagem pelos seus 80 anos, em 1987. A história foi revelada agora, através de uma carta, enviada por Niemeyer ao amigo pessoal José Aparecido de Oliveira, então governador do Distrito Federal.

Na carta, entre outras coisas, o arquiteto diz que levou sua vida como outra pessoa qualquer: “Na verdade, meu amigo, passei pela vida como outro homem qualquer. Nada de excepcional. Os mesmos problemas de trabalho e subsistência, de sonhos, tristezas e fantasias”. No final, ele pede: “Meu desejo hoje é passar meu aniversário em completo anonimato. Data que, a meu ver, não deve entusiasmar ninguém.”

Um sopro de 104 anos

Ele foi o arquiteto de Brasília, mas nunca quis ser assim lembrado. Oscar Niemeyer dizia apenas que queria ser lembrado como um ser humano que passou pela Terra como todos os outros, “que nasceu, viveu, amou, brincou, morreu, pronto, acabou!”, disse em entrevista a BBC.

Um verdadeiro gênio da arquitetura moderna, Niemeyer se inspirava em curvas de rios e corpo feminino. “O mundo é cheio de curvas. Se você tem que vencer um espaço grande, a curva é a solução natural que o concreto armado pede”, justificava suas obras. Continue lendo…

Jornalista: profissão problema

Chega mais uma vez o tempo em que muitos estudantes começam a se preparar para o vestibular. A escolha de que curso fazer é o primeiro grande desafio. Chega a ser quase um ato de covardia obrigar um adolescente de 16 ou 17 anos a escolher o que ele vai ser na vida adulta. Muitos acabam induzidos a seguir uma carreira equivocada em função de uma decisão equivocada nesta tenra idade.

Para quem pensa em seguir a carreira de jornalista, é interessante ler o artigo publicado na seção “Vestibular e Educação”, do G1. Foram entrevistados Caco Barcelos (apresentador) e Ana Escalada, editora-chefe do programa Profissão Repórter. Na matéria eles falam sobre a carreira de jornalista e Ana faz uma importante observação: “Uma pessoa que não gosta de problemas não deve ser jornalista, uma pessoa que gosta de rotina não deve ser jornalista”.

Clique aqui e confira o artigo no G1.

Walter Basso

Autor de “Castelo de Sonhos”, uma das músicas mais regravadas do país, o cantor e compositor rondonense Walter Basso vai ser uma das atrações artísticas da Expo Rondon 2012. No próximo sábado (28) um show em sua homenagem vai marcar os 50 anos em que está em Marechal Cândido Rondon. Nesta entrevista, Walter Basso fala de sua carreira e dos seus principais sucesso, bem como da expectativa para o show que será na Arena de Rodeios, a partir das 19h30. Vale a pena assistir, a entrevista e o show.

Valter Basso vem aí

Tenho acompanhado no Facebook e na rua alguns comentários maldosos e pejorativos a respeito do show do cantor Valter Basso, que está previsto para o dia 28 de julho, como uma das atrações da Expo Rondon 2012. Até meu filho, que tem 16 anos, me perguntou: “Pai, quem é esse Valter Basso?”

Aos mais jovens eu até posso desculpar pela falta de informação do que representou essa figura para o meio artístico rondonense. Mas, para aqueles que sabidamente conhecem o Valter e suas composições, vai o meu repúdio. Continue lendo…

Caso de polícia

Foi parar na Delegacia de Polícia o caso de um trote telefônico em que uma pessoa se passa pelo humorista Willmutt. O trote foi aplicado num disk-sexo e o seu conteúdo é discriminatório e preconceituoso no que tange a orientação sexual da pessoa que atendeu o telefone. Sem contar o uso de incontáveis palavrões.

Como o personagem Willmutt não usa destes tipos de expedientes para divertir as pessoas. Como muita gente estava acreditando mesmo se tratar do Willmutt, a solução encontrada foi registrar um BO para responsabilizar o autor, principalmente no sentido de retirar o conteúdo da internet. Além de prejudicar a imagem do personagem, o trote falso viola os direitos autorais, uma vez que o humorista rondonense Cleiton Kurtz detém os direitos sobre a utilização do nome e imagem do Willmutt.