Humor na crise

CVqqBFmWoAEE6IM
A crise é séria, mas não podemos perder o bom humor… abaixo algumas das frases criativas que viraram memes nas redes sociais hoje, depois da divulgação da carta do vice-presidente Michel Temer revelando descontentamento com a presidente Dilma:
Mulher de Temer se revolta: “Ele nunca escreveu uma carta longa pra mim”
Exclusivo: veja a carta que Temer escreveu para Papai Noel
Torcida do Vasco apoia Michel Temer: “sabemos o que é ser vice e se sentir rebaixado”
Depois de carta a Dilma, vice-presidente passará a se chamar Mimimichel Temer
Enfeite sua árvore de natal com Vice Decorativo.
“Dilma, miga, pare! Temer”
“A Sra. comeu pastel, churrasco e nem me convidou”
“A Sra. nunca me chamou para conversar com o Chico Buarque”
“A Sra. vai a praia e nem sequer manda um zap convidando.

As mídias sociais e a próxima eleição

social-media-objetivosEm 2016 novamente teremos eleições municipais. Aquela eleição que é pertinho da gente, quando conhecemos pessoalmente vários dos candidatos.

Tenho certeza que será uma campanha muito diferente de todas que vimos até agora. Será a primeira em que as mídias sociais realmente terão uma forte influência sobre o eleitor. E me arrisco a afirmar, muito mais forte que as mídias tradicionais.

Na última eleição municipal, em 2012, já houve a utilização de algumas redes sociais, como o Facebook, YouTube e o Twitter. Antes disso teve quem arriscou um pouco no já extinto Orkut. Mas, a interferência destas ferramentas na divulgação da campanha ainda era precária.

Mas, em 2016 será diferente. Elas vão interferir de forma veemente nas eleições. E isso não vai acontecer necessariamente no Facebook.

A proliferação dos smartphones e o crescimento e busca pelos aplicativos e serviços de mensagem instantânea, como o Whatsapp, o Snapchat, e o Telegram, vão fazer esta diferença. As verdades e as inverdades vão se espalhar de forma viral que será muito difícil o controle e a reação.

Mas, será que candidatos e equipes de campanha estão preparados para enfrentar isto? Enfrentar o desafio das mídias sociais?

É ilusão pensar que ter um perfil em uma rede social é uma ação de marketing digital. É preciso entender como funciona a dinâmica da comunidade e a linguagem específica de cada um destes canais antes de promover qualquer ação.

Também é errado imaginar que marketing eleitoral nas mídias sociais é simplesmente jogar para o formato digital peças criadas para o marketing convencional. Com certeza, este não é o caminho.

O marketing político digital na próxima campanha vai exigir participação ativa do próprio candidato e de toda sua equipe, mesmo aqueles que relutam em aceitar as mídias sociais como uma poderosíssima ferramenta de divulgação. Vai exigir também uma equipe técnica com conhecimento sobre a linguagem de cada um destes canais e o seu funcionamento.

Quem souber desenvolver uma ação de marketing digital de forma planejada e bem sincronizada com as demais ações de campanha, poderá trilhar o caminho do sucesso nas urnas.

Afinal, a mexerica deve ser descascada?

mexiricaEssa é a pergunta que se faz depois que a imagem de gomos de mexerica sendo vendidas em uma bandeja lacrada viralizou na internet esta semana.

Tudo começou na segunda-feira (13), quando um internauta publico a foto no Twitter, inconformado com tamanha praticidade. O debate logo se estendeu ao Facebook, com uma ampla discussão envolvendo adeptos do modo manual e clássico de descascar e comer a fruta, contra aqueles que defendem a comercialização de produtos bem embalados, de forma higiênica.

A discussão foi ainda além, a partir do momento que a foto se espalhou para outras regiões do Brasil. Na bandeja do supermercado dizia “mexerica”, mas muita gente conhecida a fruta por outro nome: bergamota, tangerina, polcam e até por mimosa.

Eu particularmente não vejo nenhum problema em vender a fruta em bandejas, já descascada. Eu nem gosto de bergamota mesmo. Ou seria de mexerica?