A OAB deve entrar nesta quarta (9) no Supremo Tribunal Federal (STF) com uma ação direta de inconstitucionalidade para limitar o poder de promotores de moverem ação de improbidade administrativa contra prefeitos e governadores.

Há muito tempo que os prefeitos se queixam da intervenção dos promotores através de chuva de ações que suspendem obras e a execução do orçamento. Os administradores argumentam que através das ações o Ministério Público acaba governando no lugar de quem foi eleito pelo voto popular.

A OAB defenderá que “a ideia de improbidade não se coaduna com o simples equívoco”. Seria preciso que se configure culpa grave, ou dolo, para que o administrador possa ser processado.

As informações são da Folha de S.Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *