O Ministério Público Federal (MPF) denunciou o ex-governador Beto Richa (PSDB) pelos crimes de corrupção passiva e ativa, fraude licitatória e lavagem de dinheiro no caso da licitação da PR-323, rodovia que liga Maringá a Francisco Alves, no noroeste do Paraná. Também foram denunciados o irmão do tucano, Pepe Richa; o primo deles, Luiz Abi Antoun; o ex-secretário Ezequias Moreira; e o contador da família Richa, Dirceu Pupo Ferreira.

A denúncia é fruto das investigações envolvendo a licitação da Parceria Público-Privada da PR-323. Segundo o MPF, o consórcio Rota das Fronteiras – formado pelas construtoras Odebrecht e Tucumann Engenharia – teria sido favorecido na licitação da obra, a partir de um acordo com Deonilson Roldo, ex-chefe de gabinete de Richa. Roldo já é réu no caso e negou as acusações, assim como demais citados.

Segundo as investigações, as vantagens na concorrência teriam sido concedidas em troca do pagamento de valores ao grupo de Richa. A denúncia aponta que o valor recebido pelo ex-governador e seus aliados chega a R$ 7,5 milhões.

As informações são da Gazeta do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *