Depois da derrota na sua corrida à presidência do Senado é uma incógnita como Renan Calheiros irá se comportar daqui para frente. Ele já demonstrou muitas vezes que muda de posição mais do que muda de roupa.

Até outubro de 2018 ele clamava pela liberdade de Lula e estava ao lado de Fenando Hadad, do PT, contra Bolsonaro. Depois já começou “namorar” o novo governo, de olho, obviamente na presidência do Senado.

Ele só desistiu da presidência ao Senado depois que percebeu que perderia a eleição, mesmo esta sendo secreta. Nem mesmo no seu partido, o MDB, ele era unanimidade.

A tendência é que Renan vá ser uma pedra no sapato das reformas que o Governo pretende fazer. Mas, dificilmente conseguirá arrastar muito apoio consigo.

A charge que ilustra esta matéria é do cartunista Paixão e foi publicada pela Gazeta do Povo. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *