Expectativa

É aguardada com grande expectativa a decisão da Corte do TRE-PR sobre o caso da cassação do registro da candidatura de Moacir e Cottica. Um pedido de vistas adiou a decisão final da questão para esta quinta-feira (29).

Apesar de causar estranheza o pedido de vistas, o juiz que fez a solicitação teria manifestado interesse em analisar melhor o processo devido a multa que o relator pediu para reduzir de 50 mil UFIR para 10 mil UFIR.

Hoje o caso será o primeiro a ser apreciado pela Corte, retomando do ponto em que parou, restando o voto de quatro juízes, uma vez que dois já se manifestaram favoráveis ao afastamento da cassação e diminuição da multa, seguindo o que o próprio Ministério Público Federal já havia manifestado em seu parecer.

João Marcos Gomes

Após somar 1127 votos, o radialista João Marcos Gomes (PP) volta novamente a ocupar uma cadeira no Poder Legislativo de Marechal Cândido Rondon. Ele foi eleito pela primeira vez em 2004, porém em 2008 não conseguiu a reeleição. Na entrevista que fiz com ele, João Marcos comenta sobre o resultado das eleições, sobre a presidência da Câmara, as suas pretenções de voltar ao Saae, bem como sobre o seu futuro político.

Julga ou não julga?

O recurso de Moacir e Cottica contra a cassação do seu registro de candidatura finalmente entrou na pauta do TRE – Tribunal Regional Eleitoral, em Curitiba. A matéria deve ser apreciada pelos juízes do Tribunal nesta quarta-feira (28).

Apesar de estar na pauta, há muita gente acreditando que ainda não sairá nesta quarta a decisão do TRE.

Mobilização nacional

A exemplo de centenas de outros municípios do Brasil, Marechal Cândido Rondon também está empenhado na mobilização nacional denominada “sanciona dilma”, em defesa da sanção, pela presidente Dilma Rousseff, do projeto aprovado pelo Congresso Nacional que distribui democraticamente os royalties do petróleo para todo o Brasil.

Segundo o prefeito Moacir Froehlich, se os royalties foram de fato divididos entre todos os municípios do país, Marechal Cândido Rondon poderá ter um incremento de aproximadamente R$ 6 milhões no seu orçamento já a partir do próximo ano.

O projeto deve ir à mesa da presidente Dilma na próxima quinta-feira (29).

Comentários desativados em Mobilização nacional

Pode entrar na pauta

É aguardada com grande expectativa a possibilidade de inclusão na pauta de julgamentos do TSE o recurso impetrado por Moacir e Cottica, para tentar reformar a decisão da Justiça Eleitoral de Marechal Rondon, que cassou o registro da sua candidatura.

Apesar de não constar na relação de recursos que devem ser julgados na semana que vem, há especulações que dão conta de que a matéria poderá ser incluída na pauta das sessões de quarta ou quinta.

Mesmo com a possibilidade de recurso junto ao TSE, o julgamento do TRE será decisivo para saber quem será o diplomado pela Justiça Eleitoral no próximo dia 8 de dezembro.

Na pauta do TRE

Já está na pauta do TRE – Tribunal Regional Eleitoral – o julgamento do recurso interpesto pelo candidato a vereador Luiz Carlos Cardozo (PMDB). O recurso deverá ser avaliado pelos juízes do Tribunal no dia 29, ou seja, na próxima quinta-feira.

Cardozo teve o registro da candidatura a vereador cassado pela Justiça Eleitoral em Marechal Cândido Rondon, sob a acusação de compra de votos.Ele recorreu e agora aguarda julgamento do recurso.

Na eleição, Cardozo somou 897 votos.

História polêmica

A história política de José Dirceu, de 66 anos, é cheia de ingredientes polêmicos, desde os tempos da ditadura militar.

Ele foi uma expressiva liderança estudantil na década de 60 e foi preso e perseguido durante a ditadura militar. Depois de um tempo no exílio em Cuba, passou a viver na clandestinidade, com nome falso em Cruzeiro do Oeste, aqui no Paraná. Continue lendo…

E se fossem 13 vereadores

Muito se falou no decorrer deste ano e já no ano passado sobre a possibilidade de ser ampliado o número de cadeiras da Câmara de Marechal Cândido Rondon, passando de 9 para 13 vagas. Porém, isso não aconteceu.

Mas, e se fossem 13 os vereadores eleitos na última eleição, o que mudaria na composição do Legislativo? Quem seriam os outros vereadores eleitos?

A coligação PMDB/PT/PDT/PCdoB elegeria dois vereadores a mais, passando de 5 para 7 vereadores. Os dois eleitos seriam Arlen Güttges e Ceno Unfried.  O DEM elegeria um a mais e Reinar Seyboth seria vereador. O mesmo também aconteceria com o PP, que elegeria também o Gordinho do Suco.

1
2