Causou grande repercussão esta semana a informação divulgada pelo jornal Tribuna Livre sobre o caminhão de Bombeiros sendo utilizado para encher de água uma piscina particular da cidade. A informação repercutiu em vários jornais da região e até foi motivo de uma nota do jornalista Fábio Campana no seu blog.

Sem entrar no mérito de quem era a casa, se é legal ou não é, ou se é praticado há anos ou não, penso que é uma grande incoerência a estrutura do município ser utilizada para tal fim. Assim como que também não compete ao município a execução de outros serviços/favores particulares que muitas vezes ocorrem.Existem muitas leis de incentivos, que possibilitam a utilização da estrutura do município em propriedades particulares. É coerente utilizar máquinas e funcionários públicos para melhorar, por exemplo, o acesso à uma propriedade rural, ou fazer uma terraplanagem para a implantação de uma indústria. É uma política de incentivo à produção. Interessante. Vai gerar dividendos ao município.

Mas, o que há de produtivo em encher uma piscina? Que espécie de incentivo é esse? A quantos beneficia? Que dividendos vai gerar para a comunidade?

Isso é serviço para a iniciativa privada, jamais para ser exercido pelo poder público. Ou será que quem tem piscina em casa não têm condições financeiras para contratar um caminhão-pipa particular?

Tomara que o fato polemizado esta semana sirva para uma profunda reflexão para se reavaliar os muitos serviços/favores que a máquina pública presta. Pois, tenho certeza que a maioria da população não concorda que o dinheiro do seu imposto seja aplicado para beneficiar alguns poucos privilegiados. Afinal, qual é o percentual de moradores do município que possui piscina em casa?

Pensemos nisso. Bom final de semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *