A primeira coisa que o ser humano faz ao nascer é chorar. O choro é algo que, geralmente, nós não controlamos. Ele simplesmente acontece. É uma reação para muitas sensações diferentes, como tristeza, alegria, dor, angústia, entre outras. O choro ajuda a expressar esses sentimentos, involuntariamente.

Mas, há também aquele choro por manha, por teatro, derramando ao que se chama de “lágrimas de crocodilo”. E desde bebê as crianças já aprendem a chorar por manha, pra ganhar algumas coisas. Algumas, é claro, fazem isso com mais veemência.

É aí que se perde a autenticidade das lágrimas. A cobiça e o interesse nos distanciam da verdadeira dor. As crianças, quando percebem que os pais já não dão bola para aquele choro forçado, acabam abusando do recurso cênico e banalizam o berro.

O choro, os gritos, não passam de resmungos. Poderiam ser evitados. Tem uma clara natureza forçada. E isso não é coisa só de criança. Tem muito adulto que usa desses artifícios para tentar sensibilizar aos mais próximos e até influenciar as pessoas.

É importante que a população se previna da ação destes impostores, procurando identificar e reprimir o estelionato emocional. O jornal Zero Hora, publico há algum tempo, dicas de como identificar os falsos chorões, distinguido o choro verdadeiro das encenações. São os 10 mandamentos do choro. Vale a pena ler:

1)       O choro depende de soluço. É um engasgo precioso. Choro sem soluço é poço sem roldana.

2)      O choro sincero é um miado. Não conseguiremos decifrar o que a pessoa disse. As palavras são completamente ilegíveis.

3)      O rosto ficará vermelho, inchado, como um ataque de abelhas-africanas.

4)      O sofredor não vai encarar o outro de modo nenhum, não se chora de cabeça levantada, isso é coisa de novela e de colírio. O choroso estará acovardado, de boca aberta, já que não consegue respirar.

5)      Não acredite no tipo que bate a porta do quarto para chorar, está chamando atenção, é carência, não choro, o choroso real desmorona onde estiver. O choro é pontual, surge no meio do trabalho, no meio da aula, relâmpago incontrolável.

6)       Em contato com o travesseiro, a choradeira irá atravessar a fronha e o lençol. Se não mofar o colchão, não é choro.

7)      No momento em que o homem chora, se a voz vem grossa, ele está fingindo: no choro, a voz sempre é fina, distorcida, de gás hélio.

8)      Mulher nunca chora sem estar pintada. É regra básica, para borrar feio e oferecer espetáculo. Mulher chorando de cara limpa é farsa.

9)      Se você usa lenço ou papel higiênico para limpar o nariz, está mentindo: quem sofre mesmo assoa o ranho na manga da camisa, e não se importa com os botões.

 E, para finalizar, o mais importante:

 10)  O choro é como orgasmo. Não admite discurso depois. Aquele que aproveita o choro para passar sermão é apenas um chantagista.

E, em homenagem aos chorões de plantão, segue abaixo uma vídeo com musiquinha, pra ver se anima um pouco.

[yframe url=’http://www.youtube.com/watch?v=UxBmDhel3Wk&feature=related’]

One Reply to “Estelionato emocional”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *