Um dos assuntos mais polêmicos da Expo Rondon 2011 foi a questão do valor dos ingressos, ou melhor, do meio ingresso, garantido por lei aos estudantes e às pessoas com mais de 60 anos de idade.

Realmente, pela lei, independente da promoção na venda do ingresso, o estudante e o idoso têm direito a pagar a metade. Se o preço for mais barato antecipadamente, ou se tiver qualquer outro detalhe promocional, o estudante o idoso sempre têm o direito de pagar a metade do valor.

Ocorre que, na prática, essa lei só encarece os ingressos em eventos, porque os organizadores são obrigados a aumentar o valor para não amargarem prejuízos. A lei é bonita e justa, mas, na prática, o governo está fazendo cortesia com o chapéu alheio.

É justo que o estudante e o idoso paguem a metade. Mas, também é justo e correto, que o governo tenha uma política de ressarcimento aos promotores dos eventos, que são simplesmente obrigados a vender um ingresso pela metade.

Como isso não acontece, muitos organizadores de eventos são obrigados a aumentar o preço do ingresso. Ou criam diversas promoções para a venda dos ingressos para burlar a lei e não levar prejuízo.

One Reply to “Meio ingresso: cortesia com o chapéu alheio”

  1. Cortesia o caramba, pra ser um pouco educado…tudo safadeza falta de respeito com o cidadão de Rondon, povo sofrido e trabalhador tratado desse jeito. Mas o ano que vem é eleitoral dai vem todos os mesmos de sempre dando tapinhas na costa e chamando de amigo. Mas dessa vez o povo vai dar o troco ANOTEM, vai ter politiqueiro que se elegeu com as calças na mão e vai ter uma decepção outros que foram bem votado em outras jornada vai ter que voltar para o cabo da injada( brincaderinha só para rimar).Quando o povo começa zzzzzzzzzzzztipo abelinha uhhhhhhh o pau é grande não fica pedra sobre pedra ou melhor politico ao lado de politico vai ser um limpa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *