Vence nesta segunda-feira (20) o prazo informal de duas semanas dado pelo vereador Ítalo Fumagali para que o Executivo de Marechal Cândido Rondon preste informações acerca de dois assuntos questionados pelo edil na Câmara de Vereadores. Caso as informações não venham, Fumagali promete reapresentar dois pedidos de instalação de CPI que ele formulou, mas retirou de pauta há duas semanas.

Um dos pedidos de CPI refere-se a compra de apostilas didáticas por parte da administração municipal. No entendimento do vereador a compra do material foi feita de forma irregular, ou seja, sem licitação e superfaturada.  Outra CPI seria para apurar declarações feitas pelo vice-prefeito Silvestre Cottica. Este teria afirmado que atualmente o município só tem gasto 60 AIHs para o atendimento da saúde, enquanto que na época em que o atendimento era prestado pelo Hospital Fumagali eram gastas mais de 200 AIHs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *