A profissão de repórter constantemente reserva algumas situações inusitadas. Correria, agito, riscos, adrenalina, nervosismo e muitas outras emoções fazem parte do dia-a-dia do profissional. E, não raras vezes acontecem situações em que, ao voltar da cobertura jornalística, é preciso passar por uma ducha antes de prosseguir no trabalho. Que o digam os profissionais que estiveram cobrindo o incêndio ocorrido às margens da rodovia BR 163, na tarde desta terça-feira. Voltaram literalmente defumados. Fazer o que? A busca pela melhor imagem, pelo melhor ângulo, sempre tem um preço.

One Reply to “Profissão: repórter”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *